• Gabriel Pontual

Pessoas não compram geladeira (apenas) para gelar comida

Atualizado: 6 de jul.

Conheça as funções Prática, Estética e Simbólica dos Objetos.


Porque as pessoas compram geladeira?

É uma pergunta besta, claro que é para conservar seu alimentos refrigerados, essa é sua função.


Função é uma palavra central desse Cyclo Semanal. Hoje nós vamos mostrar que na verdade as pessoas não compram geladeiras apenas para gelar comida. Ou máquinas de lavar apenas para lavar roupa, ou carros apenas para ir de A a B.


A função que o objeto cumpre é primordial, mas existe uma necessidade por expressar ou experienciar valores para além da função, como auto-afirmação, praticidade, comodidade ou sucesso pessoal.


O designer alemão Bernd Löbach escreveu em seu livro "Design Industrial: Bases para a configuração de produtos industriais"(1976) que o design e o designer precisam projetar para satisfazer três funções, prática, estética e simbólica, e que elas coexistem, porém sempre uma predomina.


1 - A FUNÇÃO PRÁTICA OU FUNCIONAL


A função prática é o aspecto do desenho pensado para atender a necessidade fisiológica do humano no uso daquele objeto.


Todo produto tem configurações de função. Uma geladeira, por exemplo, é um armário refrigerado, tem um formato retangular para se adaptar às cozinhas, possui portas equipadas com pegas que permitam sua abertura e vedadas com borracha para impedir o ar frio de sair. Em seu interior, prateleiras feitas em material lavável permitem correta acomodação dos alimentos. Dentre as funções do design esta é a que mais se ocupa com antropometria e ergonomia, afim de satisfazer a necessidade fisiológica com um desenho feito na medida de um ser humano.


Projetos que focam no prático, com desenho mais funcional, costumam ter algumas características como limpeza visual marcada pela ausência de adornos, objetividade no uso de materiais e formas, facilidade de produção pela simplicidade e materiais e cores mais convencionais. Exemplos destes produtos são o Fiat Uno, produtos da Apple como o MacMini ou o mobiliário feito em tubos de aço de Marcel Breuer como as cadeiras Wassily e Spoletto.

Refrigerador Consul Facilite e outros exemplos de produtos desenhados focados no prático-funcional. Em alguns casos o foco na função pode resultar em produtos robustos, porém "monótonos" se excessivamente focados em baixo custo.


A industrialização do século XIX permitiu baratear e produzir em grande escala produtos de uso cotidiano, simulando características da produção artesanal como o adorno excessivo. Em resposta a esse fenômeno surgiram correntes como a Bauhaus, pragmática em desenhar produtos cuja Forma deveria seguir a Função e orientando o design na direção de um minimalismo drástico, com desenhos que valorizavam formas geométricas e ausência de adornos.


Projetos que focam no aspecto funcional tem a vantagem de ser mais facilmente assimilados, podem se tornar desinteressantes, monótonos, dependendo da abordagem utilizada. Marcas que priorizam um projeto mais funcional mirando custos com frequência se veem perdendo clientes para concorrentes que entenderam que decisões de compra são tomadas também com emoção. Isso nos leva às outras duas funções do design:


2 - A FUNÇÃO ESTÉTICA


Numa das empresas em que trabalhei o café era servido em duas garrafas térmicas: uma nova, recém adquirida, de desenho mais moderno, e uma outra mais antiga e gasta. O café da garrafa mais nova sempre acabava primeiro, mesmo sendo rigorosamente o mesmo café.


O ser humano busca o belo. Um experimento realizado em 2005 por pesquisadores da Califórnia mostrou que a exposição visual a produtos de bom design ativava partes do cérebro responsáveis pelo movimento das mãos; nós buscamos fisiologicamente alcançar a beleza.


A função estética aborda essa necessidade, atua em entender e desenhar para a percepção sensorial que o ser humano tem dos objetos, a partir de cores, texturas, proporções, som, etc.


Profissionais de Color Material & Finishing se especializam nessa experiência. Ter uma função estética bem projetada significa entregar ao usuário (ou consumidor) aquilo que ele procura ou almeja esteticamente na busca pelo belo. Não pensar nessa função pode criar um efeito oposto, passar a percepção de que o objeto não tem qualidade ou não é confiável.


A geladeira Brastemp BRM44K, as mesmas funções de um refrigerador comum, com a experiência sensorial do inox e painel digital Black Piano, e exemplos de outros produtos de projeto focados na função estética.


Projetos que focam na função estética frequentemente apresentam desafios construtivos e de fabricação (e às vezes até de ergonomia) porque buscam explorar criativamente possibilidades ousadas. Com frequência, se tornam icônicos por inaugurar novos estilos. Exemplos de projetos focados na função estética são a arquitetura de Lina Bo Bardi, os automóveis premium de marcas como Audi, o espremedor de suco Juicy Salif, de Philipe Starck, e mobiliários dos anos 60 como a Poltrona Egg, de Arne Jacobsen.


3 - FUNÇÃO SIMBÓLICA


A função simbólica é definida pela relação do design do objeto com o repertório de experiências do humano.


É possivelmente a mais complexa função das três, porque é composta simultaneamente pela prática e estética somadas ao entendimento de que produtos são símbolos, são representações físicas de ideias abstratas como o conceito de Status, diferenciação por possuir um objeto menos acessível à maioria, ou o uso de produtos que tem parte central em experiências ou rituais.


Carros esportivos são bons exemplos de projetos focados no aspecto simbólico. Ferraris não são veículos práticos; possuem pouco espaço para passageiros e carga, vibram muito, são ruidosos e consomem mais combustível, mas são feitos com os melhores materiais e são representações de uma cultura na qual seus produtos são símbolos de status e exclusividade. A Ferrari chega ao ponto de selecionar (e eventualmente recusar) para quem vão vender modelos exclusivos com base na relação pregressa do pretendente com a marca.


Há exemplos fora do mercado de luxo também. A Consul e Brastemp desenvolveram refrigeradores específicos para gelar Cerveja e de desenho Retrô, transformando seus produtos (e sua marca), para além da função, em pontos focais da decoração da casa e de rituais como o Churrasco. Aspiradores robô também são exemplos de produtos focados na função simbólica, menos funcionais que aspiradores comuns, estes portáteis simbolizam o sentimento de comodidade e praticidade ao delegar a limpeza da casa.

O Frigobar Brastemp Retrô e a Cervejeira Consul: refrigeradores transformados em pontos centrais de decoração e rituais como churrasco. Produtos de função simbólica forte por sua entrega de praticidade: Fritadeiras a Ar e robôs-aspiradores.


 

Para Conhecer Mais

- Bernd Löbach, "Design Industrial: Bases Para a Configuração de Produtos Industriais": https://www.blucher.com.br/design-industrial_9788521202882



29 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo